Óleo de Patauá Polpa Amazônia 1Kg

Óleo de Patauá Polpa Amazônia 1Kg

Cod. de Referência: 16003
Promoção de Frete


Por: R$ 331,40
ou 3x de R$ 110,46 sem juros
COMPRE E GANHE DESCONTO


(saiba mais)
Seja Rápido! Apenas 1 unidades em estoque.
Disponível, envio imediato!
  • DESCRIÇÃO

ÓLEO PATAUÁ - PATAUÁ (Oenocarpus bataua, Arecaceae)

ÉPOCA DE COLHEITA

DADOS FÍSICO-QUÍMICOS E COMPOSIÇÃO GRAXA

O óleo extraído do mesocarpo do patauá, apresenta-se como um líquido amarelo esverdeado, transparente, com odor pouco pronunciado e gosto semelhante ao do óleo de oliva (Olea europaea), bem como na sua aparência física e composição de ácidos graxos. É notável o seu alto grau de ácidos graxos insaturados.
Devido ao seu alto teor em ácido oléico, o óleo de patauá apresenta propriedades hidratantes, que pode ser empregado no cuidado da pele e dos cabelos ou entrar em formulações de produtos anti-caspa e revitalizantes para os cabelos e na confecção de sabões e cremes hidratantes.

 

USO POPULARNo comércio de Belém a importância do “vinho” do patauá é bem maior do que a do óleo. O “vinho” de patauá tem aparência de leite com chocolate e é preparado como o “vinho” de açaí. 
O mesocarpo seco do patauá apresenta cerca de 7,4 % de proteína e possui uma composição excelente de aminoácidos. Por conta disso, a proteína do patauá é uma das mais valiosa encontrada entre os vegetais, podendo ser comparado com a carne ou o leite do gado.
Tradicionalmente, o óleo de patauá é empregado pelas comunidades amazônicas nas frituras, e como tônico no tratamento da queda de cabelos.

ECOLOGIA

O patauazeiro é uma palmeira que cresce tanto em área de terra firme como, também, nos ambientes mais úmidos da floresta. Esta espécie pode atingir até 25 metros de altura, possui apenas um caule e o cacho é arrumado em forma de rabo-de-cavalo. O patauazeiro começa produzir a partir do oitavo ano e produz até 3 cachos por ano. Os frutos demoram entre 10 a 14 meses para se desenvolver. Por isso pode ser achar plantas com flores e frutos no mesmo tempo.
Na extração mais tradicional do óleo da patauá, a polpa, previamente separada da semente por maceração em água, é triturada e colocada em um recipiente com água para ferver até o óleo aparecer. Quando a extração do óleo é feita com uso de prensas mecânicas, a polpa deve ser previamente aquecida e seu rendimento tende a ser maior.
O fruto do patauazeiro é composto por 39% de mesocarpo e 61% de caroço. O mesocarpo (polpa) tem 18% de óleo. O cálculo médio de 2 cachos produzidos por ano por palmeira, é equivalente a 32 kg de frutos, o qual pode se obter na prensa mecânica até 2,4 litros de óleo por palmeira.

REFERÊNCIAS UTILIZADAS

BALICK, M. J. and GERSHOFF, S. N. (1981): Nutritional evaluation of the Jessenia bataua palm: source of high-quality protein and oil from tropical America. Economic Botany 35, p. 261 – 271.
BALICK, M.J. (1988): Jessenia and Oenocarpus: neotropical oil plants worthy of domestication. Food and Agriculture Organization (FAO), Plant Production and Protection Paper, N°. 88, Rome.
http://www.fao.org/docrep/V0784E/v0784e0f.htm (acessado em 11/11/2009)
PESCE, C.: Oleaginosas da Amazônia, 1941, Oficinas Gráficas da Revista Veterinária, Belém/PA
SHANLEY, P. et. al. : Frutíferas e plantas úteis na vida amazônica, 2005, CIFOR, IMAZON, Editora Supercores, Belém, p. 300.

 

Avaliações e Comentários